25 junho, 2010

O que o bebê sente e faz na barriga nos nove meses de gestação – parte 2

Bem-estar na água

Ficar flutuando levemente em banheira quentinha não faz bem apenas à gestante, mas também ao bebê. A água quente relaxa os músculos da mamãe e faz com que ela respire mais profundamente, e assim o bebê recebe uma porção extra de oxigênio. Como dentro da água a barriga da mamãe não pesa, o útero fica menos estreito e sobra mais espaço para o bebê poder se esticar um pouco também.

Dançando juntos

Na gravidez a vontade de dançar geralmente diminui, mas esse tipo de exercício só faz bem. Sejam músicas mais suaves ou mais agitadas, o bebê gosta de sentir o balanço do corpo da mamãe embalando ele. Além disso, quando a gestante se movimenta aumenta o seu fluxo sanguíneo e o aporte de oxigênio ao feto. Se a vontade de freqüentar um curso de dança for pouca, vale dançar em casa mesmo, sem ninguém pra assistir.

Mamãe na horizontal – momento de ginástica para o bebê

Toda gestante deveria ter o direito de se deitar algumas vezes ao longo do dia, mesmo que fosse por 10 minutos apenas. Quando a grávida se deita a placenta tem o seu fluxo sanguíneo aumentado e o bebê também fica com mais espaço para se movimentar. Com mais espaço e mais oxigênio à disposição quase todo bebê começa a se movimentar mais para aproveitar. É hora de atividade! O problema é que normalmente nessa hora as mamães estão querendo é descansar. Lembrando que a melhor posição para a grávida se deitar é virada para o lado esquerdo.

Quando o sol brilha para o bebê

Será que o bebê já fica entediado dentro do útero? Isso infelizmente ainda não foi estudado. Mas está claro que bebês a partir da 25ª semana querem mudanças. Como seus cinco sentidos já estão desenvolvidos eles têm sede de novidades. E uma novidade curiosa é apresentar o seu bebê ao sol para que ele vá se acostumando com a claridade. A partir da 25ª semana o bebê já enxerga muito bem. Se uma grávida coloca sua barriga nua exposta ao sol, dentro do útero fica um pouquinho claro, como se fosse uma janela coberta com grossas cortinas vermelhas.
O sol também protege o bebê de doenças, pois faz com que a gestante produza mais vitamina D. Essa vitamina influencia, entre outros, o funcionamento do sistema imunológico, evitando doenças auto-imunes como diabetes e problemas da tireóide.

Eu e você – encontros entre o sonho e o despertar

Toda grávida às vezes conversa em pensamento com seu bebê. E com certeza adoraria receber uma resposta dele. Será impossível? De forma alguma. Os psicanalistas húngaros Jenö Raffai e György Hidas desenvolveram um método para que as mães e os bebês já conectem suas almas antes mesmo do nascimento. Eles dizem que é possível, através de mentalização, sonhar com o bebê, com sua alma, o que faz com que a mãe já vá percebendo como é o pequeno ser que está em seu ventre. E eles dizem que com o bebê também acontece isso, que ele sonha com imagens da mãe, assim eles já vão se tornando mais íntimos. Então não custa experimentar pensar sobre o bebê, mentalizar, quem sabe até sonhar, para que esse serzinho vá ficando mais real para a mamãe e a conexão entre os dois se fortaleça..
(Nota da Dani: Eu não li o livro dos psicanalistas húngaros, então não sei ao certo como é a teoria. Mas os comentários na net sobre o livro são sempre bons)

Canções sem palavras - as vozes do amor

Como o método descrito acima deixa o papai de fora, é bom saber que palavras ditas em voz alta também alcançam o bebê dentro do útero. É lógico que para o bebê não importa o que está sendo dito, mas a forma como é dito. Alfred Tomatis, médico e psicólogo, estudou o assunto durante uma década e descobriu que o tom, a melodia, e o ritmo da fala são bem percebidos pelo bebê. Ele escuta também os sons do coração e dos órgãos internos da mãe trabalhando. A voz da mãe é a que chega mais forte para o bebê, pois reverbera através de seu corpo. Mas a voz do papai e até dos irmãos é reconhecida após o nascimento, provando que o bebê já se acostuma a elas no útero. Assim, é fundamental que todos conversem com o bebê.
Se as vozes já são como música para o bebê, imaginem música de verdade! Se clássica ou pop, não importa. Bebês reagem positivamente tanto à 40a. sinfonia de Mozart como a „Love me tender“ de Elvis. Mas é bom que sejam músicas tranquilas, pois de músicas muito agitadas os bebês não gostam. Além disso, músicas calmas deixam a mamãe mais relaxada e, novamente, quando ela está relaxada a placenta funciona melhor, e a nutrição do bebê também.

Momentos de carinho

Quando o bebê no útero já está um pouco maiorzinho, os pais e os irmãos devem sempre acariciar a barriga da mãe, pois o bebê já consegue sentir e curtir essas carícias que vêm de fora. A mamãe pode aproveitar para mentalizar o bebê, ou conversar com ele, mesmo que em pensamento. E essa carícias podem acontecer em qualquer lugar, inclusive no trabalho. Se não der para ficar acariciando a barriga, só o fato de deixar a mão sobre ela já ajuda. Às vezes podemos perceber que parece que o bebê fica se ajeitando debaixo da mão. Ou que o bebê se acalma, ou fica até mesmo mais feliz e sapeca. O importante é que esse contato seja frequente, estabelecendo uma relação entre a família e o bebê.

Enfim, o bebê no útero já é uma pessoinha que gosta de carinho e atenção. Como este site trata de interferências positivas, essas dicas acima são muito válidas para que as mamães já na gestação comecem a preparar os bebês para uma vida cheia de amor, feliz e saudável!

Espero que vocês tenham gostado!!!!

6 comentários:

Je disse...

Mais uma excelente dica da dona Dani....

Anônimo disse...

Adorei ..

Anônimo disse...

Q legal eu amei pois converso sim cm meu bebe em pensamento e n tiro a mao da barriga

Anônimo disse...

Adorei...

Anônimo disse...

Muito interessante! !!

claudia medianeira da silva disse...

A coisa mais linda que eu já li sobre a gestação.