11 agosto, 2010

Robauto

Aqui no Brasil a gente tem sempre uma desculpa pra agir errado, pra fazer algo de forma ilegal. Ou é a falta de dinheiro, falta de tempo, etc. Muita gente "molha a mão do guarda" pra escapar de uma multa, transfere pontos na carteira de motorista pra outras pessoas pra escapar de ter que fazer o tal cursinho do DETRAN de novo, finge que está dormindo no ônibus pra não dar lugar pra senhorinha idosa se sentar, entre tantas outras coisas.

E em São Paulo especificamente tem uma rua conhecida por todos como a "Robauto", que é onde uma pobre pessoa que não tem muito dinheiro vai comprar peças de carros roubados quando precisa.

Pois bem, uma vez uma amigona minha de São Paulo (não vou citar o nome aqui, lógico) sofreu um sequestro relampago, no qual sacaram o dinheiro dela no caixa eletrônico e levaram o carro, um Uno. Pouco tempo depois encontraram o Uno dela largado numa rua, todo depenado, tadinho. Aí o seguro não cobriu nada do prejuízo. Como ela precisava dar um jeito no carro mas tava meio sem grana, lá foi minha amiga na "Robauto" procurar por peças pro carro. E rodando pelos desmanches eis que ela encontra o forro das portas do próprio Uno dela! Ela sabia que eram os dela pois eles já não tinham o tecido original, ela havia trocado por um tecido xadrez que ela própria havia comprado. E lá estavam os forros de porta dela, xadrezinhos, bonitinhos! Então ela argumentou com o cidadão dono da "loja" que essas peças foram roubadas do carro dela, que o forro do banco continua lá, ó, e é igual, e o cidadão na maior cara de pau responde:

- Ah, era o seu é? Então eu te faço R$ 20,00 de desconto!

Então aqui fica uma lembrança: se ninguém comprasse peças de carros roubados nenhum carro seria roubado!

9 comentários:

Sabrina disse...

Dentro dessa mesma filosofia, eu digo: se ninguém usasse drogas ilegais, não existiria tráfico.

Je disse...

A cara de pau do vendendor em?
E provavelmente nem valeria a pena denunciar o vendendor né? Ou valeria? Ainda gosto de pensar da história de ser uma gota no oceano.

Beso e bom ter seus posts de volta.

adrianeianzen disse...

Pois, e duvido que se chamasse a polícia alguém ia aparecer por lá... até ia, mas não fariam nada. Se todo mundo sabe da existência desse local, por que é que ninguém toma providências? Simples, sempre tem alguém que leva vantagem, com certeza quem deveria fiscalizar esse tipo de coisa leva uma grana extra e fica tudo por isso mesmo... o mudo corrupto!

Bi disse...

Então.
Tem coisas que parecem ser inerentes ao Brasil, e muitas de fato são.
Eu diria que é "exclusividade" mas em tom de crítica mesmo.
Aqui não existe isso. Além de ter o carro, o seguro ser obrigatório e se pagar o imposto anual (IPVA), ainda é obrigatório fazer uma revisão anual em lugares credenciados e as peças DEVEM SER OBRIGATORIAMENTE adquiridas lá.
Há coisas que se evita fácil, mas não com a malandragem que existe por aí.
Eu diria que o Brasil, infelizmente, é um caso perdido!

Magnum Opus disse...

Os robautos são uma tentação não somente para quem foi roubado como pra quem procura peças em geral ou curte fuçar o carro... Pra quem tem VW então é uma maravilha. Daí a gente ve pq o seguro dos carros da VW é o mais caro...

Dri disse...

Sabe, às vezes penso que além da matemática, do português, nós deveríamos ter aulas de "princípios". Quem sabe de "amizade" na 4ª série... ao passar de ano, outro móludo e ao chegar no pré-vestibular "Não ao desperdício de tempo, de inteligência e de saúde". Já na faculdade, aulas de cidadania... algo mais ou menos assim!
Tais "disciplinas" (em todos os sentidos desta palavra) deveriam ser inerentes a todas as pessoas, mas creio que não são.
Acho que precisamos sempre aprender ou sermos lembrados e aperfeiçoados.
Incrível, né?

Hadas disse...

O Denis tem razão... meu pai tem um VW e conseguiu não sei o que no robauto de Curitiba (aqui tbm tem, Dani!) com a diferença de R$ 350,00! Meu pai não resistiu e comprou, mesmo sabendo que era roubado. Não há argumentos com o meu pai quando há dinheiro envolvido.
Mas aquela peça poderia ser provinda de um assalto violento... ou ainda, de um coitado que nem havia terminado de pagar o carro que lhe foi roubado.
Mais pessoas deveriam acompanhar o seu blog... Como é difícil explicar que é errado fazer o errado!

Pé Mimado disse...

É, infelizmente essa é a realidade! Fico tão triste quando vejo alguém querendo tirar vantagem com o outro, fazendo coisas absurdas como essa citada (entre outros não especificado). Eu fico de cara!

P.S. Adorei o nome fictício, Dani!

Alexandre Olsemann disse...

aproveitei a reprise para ler o texto. que sorte a dela hein? encontrar o que foi roubado, muita sorte.