17 setembro, 2010

Palestra sobre como estudar corretamente

Atenção! Esse post é gigante, mas juro que é interessante!

Oi pessoal!
Desculpem se não postei ontem, mas não deu...

Mas pra compensar hoje eu vim contar umas coisas muito legais que aprendi na palestra que teve na escola da Nina na quarta-feira passada. Quem deu a palestra foi o simpático professor Pier (Pierluigi Piazzi, procurem no Google, o currículo dele é ótimo), que criou o termo neuropedagogia. A palestra era sobre como funciona o processo de aprendizagem no cérebro. Sabendo como funciona, fica mais fácil aprender direito.

Em primeiro lugar ele disse que qualquer um pode estudar com qualquer idade e ser o que quiser. Basta querer. Isso quer dizer que ainda temos chance, eba!!!
Bom, mas a palestra era voltada aos pais do colégio, então ele focou mais no estudo das crianças. Ele começou dizendo que no Brasil há muitos alunos, mas bem poucos estudantes. Que quem assiste aula é aluno, e pra ser aluno é fácil, basta se matricular num curso. Mas pra ser estudante é preciso estudar, sozinho e concentrado, o que é bem diferente.

E ele disse que tem três erros graves no ensino de hoje em dia. São eles:

- A falta do hábito de ler.
- A falta de respeito pelos colegas e professores em classe.
- Estudar para a prova.

A falta do hábito de ler no Brasil já é conhecida, mas como combatê-la? Como ensinar pro filho da gente que ler é legal?

Ele começou criticando o método de ensino aplicado nas escolas brasileiras. Disse que é óbvio que quando a criança tem que começar a ler com Machado de Assis, José de Alencar (que são os primeiros livros que as escolas pedem) a coisa não vai pra frente. Então ele deu a dica de começar com Harry Potter, pra criar o hábito da leitura, e depois chegar a Machado de Assis.

Além disso também é importante que a criança encontre o seu livro. Porque cada um gosta de um tipo de leitura, e isso é muito particular. E que se a criança começar a ler um livro e já no primeiro capítulo achar chato, deve-se dar uma segunda chance pro autor e começar o segundo capítulo. Continua chato? Troca de livro! E é pra trocar quantas vezes for necessário até achar um tipo de leitura que agrade. Daí quando a criança acha seu tipo de livro a coisa vai embora...

Além disso é preciso os pais darem o exemplo e lerem também (lição pra mim, faz muito tempo que não leio, aiai).

Quanto à falta de respeito em classe, isso é uma coisa que deve ser ensinada em casa. Os pais hoje em dia defendem e protegem os filhos demais, até dos professores, e isso é um sério problema para os professores, que não conseguem mais ensinar. Mas esse é um longo assunto pra outro post...

Mas o câncer do estudo mesmo, segundo ele, é o hábito de estudar (só) para a prova. E que é visto como normal, sendo que a gente foi criado assim e acaba criando nossos filhos assim também:

- Filho, larga o videogame e vai estudar, que amanhã tem prova!
- Ah, hoje não tem lição? Que bom, né? Assim você pode brincar!

Quem é que já não deu uma dessas?

Ele explicou que o que é estudado só pra prova não entra na cabeça, e dessa forma a gente acaba jogando no lixo todos os nossos anos de estudo, por isso a gente precisa de cursinho pra passar no vestibular, na prova da OAB...

O importante é estudar pouco, mas todos os dias! Tem que virar hábito, repassar o que foi aprendido todo dia! E antes de dormir!!!!

O lema dele é

Lição dada, lição estudada HOJE!

Mas por que isso? É porque no cérebro tem 3 lugares que armazenam informações:

- O cerebelo, que é onde ficam guardadas informações que a gente aprende na base do erro e acerto, na raça, ligadas a experiências motoras e sensoriais, como andar de bicicleta, por exemplo, e que a gente nunca mais esquece.

- O sistema límbico, que é onde as informações ficam armazenadas temporariamente, mas que sempre que a gente dorme são apagadas. São informações das quais a gente não precisa, como o que você almoçou semana passada, ou qual era mesmo a sua última lista de mercado.

- O córtex, que é o maior e mais complexo, e que é onde ficam guardadas as nossas experiências importantes, e onde deveriam ficar armazenadas as aulas, a matéria que a gente deve saber pelo resto da vida.

Então quando a pessoa assiste uma aula, ela não está aprendendo, ela está entendendo. Pra gente considerar que aprendeu alguma coisa é preciso saber essa coisa mesmo depois de muito tempo, e isso só acontece se as informações ficarem guardadas no córtex cerebral.

Durante a aula as informações ficam gravadas no sistema límbico, mas se a gente não conseguir passar elas pro córtex, no dia seguinte a gente já não lembra de nada, porque durante o nosso sono elas são apagadas. Agora, se depois da aula a gente retomar a matéria, escrever, fizer um esqueminha, desenho, seja lá o que for, sobre o que foi aprendido, estamos marcando essa informação mais fundo no sistema límbico, e durante o sono essas informações mais marcantes vão ser gravadas no córtex. É por isso que normalmente os alunos lembram de alguma piada que o professor fez durante a aula, por exemplo, e esquece da matéria. Porque o que chama a atenção é considerado importante, e isso fica marcado pra sempre (diz o professor Pier que o sistema límbico é muito bem humorado, tem tendência a gravar as piadinhas).

É por tudo isso que o professor Pier diz que a pessoa tem que estudar a matéria aprendida em classe no dia, antes de dormir. Pra garantir que a gravação desses dados importantes seja feita. Então, alunos que assistem às aulas de manhã devem estudar um pouco à tarde. Os que vão à escola de tarde (como a Nina) devem estudar à noite. E quem estuda à noite, não tem jeito, tem que repassar a matéria de noite mesmo, por meia hora que seja. Sempre antes de dormir.

E é importante saber também que uma boa noite de sono é fundamental pra que a gravação seja bem sucedida, senão não rola. Crianças e adolescentes devem dormir cedo e bem!

Agora quando a pessoa assiste aula, vai pra casa e não estuda, o sistema límbico vai apagar a matéria toda durante a noite. Aí no dia da prova, a pessoa lê rapidinho a matéria de novo antes da aula, ela fica fresquinha no sistema límbico, e acaba indo bem na prova. Só que de noite a informação vai embora de novo... E no vestibular nunca que essa pessoa vai se lembrar do que leu. Os anos de estudo foram jogados fora.

Uma prova legal de que é assim mesmo, acho que já aconteceu com quase todo mundo. Quantas vezes vocês não sabiam a matéria, resolveram escrever uma cola e na hora da prova nem precisaram dela, porque se lembravam de tudo? É porque as ideias foram passadas pro papel, aí o cérebro fixa a informação. De qualquer forma, fazendo a cola você estudou. Aprendeu.

Então, o lema é:

Lição dada, lição estudada HOJE!

Pro professor Pier o certo seria que todas as provas fossem surpresa. Só assim é que daria pra medir o que a pessoa realmente aprendeu. Senão, é como dizer:

- Tô com febre, vou ao médico ver o que é, mas antes vou tomar duas aspirinas!

O legal é que na escola da Nina é assim mesmo, as provas acontecem durante as aulas, sem aviso. E vocês precisam ver como os pais reclamam nas reuniões.

- Tadinho do meu filho, como é que ele vai estudar se nem sabe que dia que tem prova?

Uma última observação que eu achei bem legal que ele fez foi em relação à TV. Que aqui no Brasil a gente tem o hábito de sempre ter a TV ligada, mesmo que não esteja assistindo. E em todo lugar,inclusive nos restaurantes, nas lojas... E com isso a gente se acostuma a sempre ter um zumzumzum na orelha, pro qual a gente acaba não prestando nem atenção. E assim, os jovens em sala de aula acabam se distraindo mais, pois as explicações do professor acabam virando zumzumzum também... Então o certo é manter a TV desligada, e só ligar quando a gente realmente vai se sentar na frente dela e assistir.

Quem quiser saber mais sobre o assunto pode ler os livros do professor Pier, ele escreveu 3: “Aprendendo inteligência” que é para ser lido por alunos, “Estimulando inteligência”, voltado aos pais e “Ensinando inteligência”, para professores.



A palestra durou 2 horas e teve muito mais informação, só que eu tentei resumir o importante aqui pra vocês, porque quero continuar tentando a melhorar os estudos e a inteligência dos nossos (meus e seus) filhos!

11 comentários:

Bi disse...

Daaaaaaaaaaaaaaani...

ADOREI!
Valeu a pena ficar um dia sem post.
Parte das informações que você colocou aí eu já sabia, o duro só é a gente se lembrar sempre e colocar em prática.
Quanto à leitura, tenho tentado praticar mais. O Nicholas adora livros e quero aproveitar essa 'paixão' pra tornar isso um hábito.
Um incentivo legal pra criança é ter um determinado horário do dia pra fazer uma 'Hora do Conto', assim, além de passar um tempo com o filhote, você acaba ensinando um bom hábito a ele, a leitura.
Bom, é isso...
Encontrei no YouTube alguns vídeos de palestra dele, comecei a assistir esse e gostei do que vi: http://www.youtube.com/watch?v=M1GLt52nHEM .

Beijo e bom final de semana pra você!

Eliane Felisbino disse...

Dani,
Meus pais não conheciam o palestrante, mas todos os dias eu tinha que reler e rever o que tinha aprendido na escola.

Magnum Opus disse...

Bem interessante... Tipo, tudo o que ele diz pra não fazer eu fiz a vida inteira... Vou comprar esses livros e depois fazer medicina na USP ou engenharia no ITA!

Dani disse...

Pois é, eu também sempre estudei só pra prova!
E estudava no recreio antes da prova, e ainda comia um chocolate, pois eu tinha lido em algum lugar que o chocolate ativa a memória... hahaha
Aí eu até ia bem, mas realmente não aprendi muita coisa...

Bi disse...

HO HO HO
Idem! E fazia muita cola também! rs

Je disse...

A palestra deve ter sido bem legal mesmo.
Eu já tinha ouvido sobre a fixação do que vc estuda. EU quando estudava gostava de fazer que tava explicando para alguém...era excelente para fixar o assunto!

Raphael disse...

Muito interessante Dani. E eu fiz isso a vida toda... estudar pra prova. O quer as crianças precisam ter em mente de forma natural é o motivo maior do porque estudar. Ou seja, não precisamos estudar apenas para tirar notas boas, ir bem na prova, mas sim para sermos pessoas melhores.

Valeu por compartilhar isso conosco. Abraço!

Pé Mimado disse...

Adorei, Dani!

Na escola, eu sempre estudava um dia antes da prova. Sempre fui boa nisso, pq tenho boa memória. Mas, dou uma dica, que pra mim sempre funcionou e funciona até hoje: anotar tudo o que o professor fala durante as aulas. Eu anotava tudo mesmo, até exemplos, e não apenas o que ele passava no quadro. Eu fazia isso e depois eu só precisava de uma leitura, pois lembrava de tudo (lembrava até da cor do giz, hahaha). Durante a faculdade toda eu fiz isso, tb, pois não dava tempo de estudar para as provas em casa e me dei bem. Mas isso só funciona com quem tem facilidade, pois eu tenho memória visual. Eu tenho que ver, para depois me lembrar. É engraçado, pq hoje eu sempre faço lista de compras, para não comprar besteiras e nada além do que eu preciso, mas quando eu chego no mercado, eu lembro de tudo, sem precisar olhar na lista. Faço apenas um checklist...hahhahahaa! Mas eu vou usar esse método que vc passou com os meus futuros filhos, acho muito legal essa forma de ensino e aprendizado. E além do mais, as facilidades e habilidades surgem com a prática.

Como sempre, vc com uma interferência mega-positiva!

Beijos...

Dri disse...

Nossa, a história de faze a cola e depois não precisar... e eu me achava um gênio hohoho

É... eu bloqueei a tal da literatura pq. me deram SENHORA do José de Alencar... putz!!! A tal da Senhora era chata.

E agora tô aqui, ganhando o pãp lendo e tentando entender!

Pa,Gi e Ste disse...

Olá
ontem fui na palestra do professor pier
Ela é muito boa
Eu amei o libro é muito bom
Resultou muitas coisas em minha vida esse livro
vele muito a pena ler!!!
beijinhos

Anônimo disse...

Eu estudo o 1° ano do E.M, e por mais que eu tire notas boas nas provas sempre acho que não estou estudando o suficiente. Além disso tenho certa dificuldade em algumas matérias! seu post me ajudou bastante!