10 junho, 2010

Interferência positiva

Por mais que a gente não perceba, a vida da gente é recheada de interferências. O clima (além da moda) dita a roupa que a gente vai usar no dia, o dinheiro que a gente tem (ou não tem) interfere sobre o que podemos comprar, o tempo que temos disponível nos faz escolher entre tantas coisas que queremos fazer, o trânsito faz a gente mudar os caminhos...

Mas a maior interferência que sofremos é a das pessoas. Todas as pessoas interferem na nossa vida, umas mais, outras menos, umas mais diretamente, intencionalmente, outras nem tanto. O porteiro do prédio pode arruinar seu dia caso seja mal-educado com você logo de manhã e estrague o seu humor. Seu filho pode salvar seu dia com um bilhetinho de amor que deixou escondido na sua carteira.
E nós todos interferimos no mundo, na economia, na política e, principalmente, na vida dos outros o tempo todo.

E eu, Dani, interfiro pra caramba na vida dos que estão à minha volta! Palpiteira... Quem me conhece sabe!
Mas eu busco palpitar só quando me pedem (nem sempre consigo) e, sobretudo, palpitar direito. Palpitar pelo bem, palpitar pra ajudar.

Pra deixar meus palpites mais “profissionais”, estou sempre informada sobre os assuntos de que gosto para ser consistente nas minhas opiniões. Não me venha perguntar se você deve comprar carro X ou carro Y, pois esse assunto não me interessa e dele não entendo nada, então vou tentar te direcionar para palpiteiros mais habilitados (meu marido, por exemplo). Mas quando o assunto for filhos, família, gravidez, natureza, bem-estar, artesanato, ecologia, respeito, amizade ou comunidade eu palpito, e muito! Posso ficar horas falando sobre esses assuntos sem cansar, quantas vezes precisar (mais uma vez, quem me conhece SABE). Adoro plantar sementinhas no pensamento das pessoas!

E por ser assim tão empolgada sobre esses assuntos é que eu decidi colocar todos eles em um blog, pra tentar plantar sementinhas em mais pensamentos do que apenas dos meus queridos amigos, pra tentar fazer todo mundo pensar um pouco sobre como está interferindo globalmente.

O global não é tanto (ou só) no sentido de mundial, mas principalmente no sentido de geral, do todo. Isso quer dizer que quero pensar sobre as interferências que provocamos nas mais diversas áreas. A educação dos filhos, o respeito ao mundo, à natureza, ao outro. Precisamos parar de pensar tanto na gente, no que a gente quer, e pensar um pouco no outro. Nos outros. Em todos eles.
E não é difícil, muitas vezes é só falta de costume.

Estou longe de ser perfeita, não sei de tudo (aliás, acho que o que sei é até muito pouco), então quero convidar vocês todos a pensarem o mundo junto comigo. Quem topa?

4 comentários:

Jerusa disse...

To dentro!!! haha
É isso ai, mais um companheira para esse mundo.
Beso

Pé Mimado disse...

Muito legal, Dani! Conte comigo...
Adorei o seu blog e já sou uma seguidora.

Beijos!

Ísis disse...

Dani, q legal, vou acompanhá-la! bjin

Anônimo disse...

Dani, você manda muito bem.
Na nossa última conversa, adorei ouvir seus "palpites" sobre consumismo. E como o mundo é uma teia, já passei adiante seu bom senso palpitando para duas amigas suas ideias.
Abraços,
Ane