13 setembro, 2010

Meu passado me condena - Rambo II

Aposto que vocês estavam esperando ansiosamente por mais uma revelação triste do meu passado. Eu entendo, faz parte da natureza humana! Espiar a vida dos outros e dizer:

- Ahá, tá vendo, ela não podia ser tão certinha assim!

Por isso estou aqui de peito aberto admitindo meus erros pregressos, kkkkk!

Pois então, quando eu tinha o que, uns 10 anos, eu assisti ao filme Rambo II na TV (e gravei em fita VHS). E preciso dizer que foi amor à primeira vista! O que era aquele homem, honesto, passando um monte de perrengues pra salvar um monte de gente no Vietnam? Ele enfrentava sanguessugas, vietcongues, explosões, torturas, tudo pelo bem de seus companheiros americanos! E conseguia sempre escapar! E tinha uma moça vietcongue que acompanhava ele, e eu me lembro bem da cena em que ela pedia:

- Me leva com você? Me leva?



Nossa, eu achava ele lindo, inteligente (?), honesto (?), corajoso... Eu sei que a minha fita VHS ficou gasta de tanto que eu assisti ao filme. E não pensem que eu assistia no sofá, normal, não. Eu colocava o filme pra passar, subia em cima do telhado da garagem e ficava assistindo lá de cima através da janela da sala. Claro, pra ter aventura, oras! E quando eu saía na rua eu amarrava uma fitinha vermelha na cabeça, hahaha. E pegava a lixa de unha da minha mãe que era de metal e levava junto, pra me “defender” caso eu precisasse (crente que a lixa era uma faca, hihihi). Mas não pensem que era só isso não. Eu também entrei numas de que a gente tinha que ser forte, corajoso, e comecei a treinar a me equilibrar e andar em cima do muro. Mas também obrigava meus irmãos e minha pobre priminha caçula a andarem no muro, pra virarem gente! E não queria colocar blusa quando tava frio e dormia no chão ao lado da cama pois “eu tinha que me acostumar”. Subia em todos os muros, árvores, telhados que eu podia. E uma vez eu estava no mercado com minha mãe e vi na sessão de discos (LPs) o disco do Rambo III, e claro que eu fiz minha mãe comprar um pra mim. E o disco quase furou de tanto tocar!

Hoje em dia eu penso nisso e não sei bem dizer o que aconteceu, qual foi a graça que eu vi nisso tudo. Acho que eu tenho espírito aventureiro, e me identifiquei. E eu só parei de assistir diariamente ao Rambo pra começar a assistir ao Indiana Jones, que foi meu próximo ídolo. Daí eu tinha certeza de que quando eu crescesse ia ser arqueóloga! E assim continuou.

Eu tinha um amigo que um dia me disse que o pior medo dele era que os filhos dele não tivessem paixões na vida. Que é muito ruim uma pessoa passar pela vida sem grandes paixões. Então ele incentivava os filhos com as paixões deles.

E agora eu tenho certeza de que a minha infância também foi recheada de paixões.

10 comentários:

Sabrina disse...

Ah então quer dizer que, depois de todos esses anos, eu descubro que o culpado por eu ter que ficar andando naquele maldito muro é o RAMBO???

Je disse...

Hhahah. Não acreditei ao ler essa história, realmente não conhecemos as pessoas: Rambo? Jura? hahahha

Pé Mimado disse...

Dani, eu tb adorava assitir aos filmes do Rambo, Indiana Jones e os filmes de lutas marciais do Jean Claude Van Dame e daquele ator com cara de argentino de rabo de cavalo, o Steven Seagal...hahahahaha. Além de lindos, eles eram fortes, corajosos...tudo que eu sempre admirei num homem. Viu só??? Temos algo em comum, minha amiga! =)

Magnum Opus disse...

Nossa, Rambo II... um clássico da sessão da tarde hehehe. Pior que era legal mesmo...

Bi disse...

Rambo, Dani?????
Aaaafffffffffffffff!!!!
Tá, eu não tive essa paixão toda por ele, na verdade nunca gostei muito do Stallone, Van Damme ou Steven Seagal, do Harrison Ford como Indiana Jones sim, quem é que não gostou?

Um episódio engraçadíssimo e bem recente, foi uma amiga (muito simples) daqui, falando dos filmes que tinha assistido. Ela recomendava um do "Sidnei Magal", aquele ator famoso que faz filmes de luta. Quase tive um treco de tanto rir, ao descobrir que ela estava falando do Steven Seagal!!!! Huahuahauhauhauhaua...

Ótimo post!
Aguardando ansiosamente por mais situações comprometedoras do teu passado, Dani... Adoro! rs

P.S: Apesar de ter passado parte da minha infância brincando com a Sabrina, não me lembro de nenhuma peripécia... rs

Eliane Felisbino disse...

Eu também adorava o Indiana Jones e vivia catando pedras porque meu sonho era estudar arqueologia.

Hadas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hadas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hadas disse...

Meu pai assistia muito Rambo... e eu sempre ficava ao lado dele, mas sempre tapava os olhos para não ver as cenas de torturas hahaha!

Dri disse...

Dani, esses filmes eram tudo de bom! Mas sinceramente... sou mais o Harisson Ford que o Stalone!
Beijo