16 junho, 2010

Papo sério - Consumismo infantil



Eu e meu marido sempre fomos bem interessados sobre a questão do consumismo infantil, não queremos de jeito algum que nossos filhos virem “pidões” nem infelizes por não terem tudo o que querem.

E esses dias a escola da Nina ofereceu uma palestra ótima sobre o consumismo infantil, e sugeriu que assistíssemos ao seguinte vídeo:

http://www.alana.org.br/CriancaConsumo/Biblioteca.aspx?v=8&pid=40

É um vídeo de quase 50 minutos, mas é maravilhoso e chega a ser chocante ver como anda a cabeça da criançada de hoje. Super recomendo, pra quem tem filhos ou pretende tê-los e até pra quem apenas tem sobrinhos, netos...

Seguindo nessa linha, aconteceu uma coisa muito legal com a Nina. Esse ano ela está usando a mesma mala de rodinhas na escola que ela usou no ano passado. E um dia desses uma amiguinha de classe tirou sarro da Nina, porque a mala dela ainda é a mesma (e já está um pouco detonadinha). Note-se que a menina já está na terceira mochila diferente apenas nesse ano!
A Nina veio se queixar pra mim, e aproveitando a idéia de consumismo, meio-ambiente e o vazamento de petróleo imenso que está acontecendo no Golfo do México eu expliquei pra ela que a mala é feita basicamente de plástico. E que pra fazer plásticos, combustíveis e uma porção de outras coisas é preciso extrair petróleo de dentro da terra. E que às vezes acontecem acidentes como esse que ela já havia visto na TV. E que se todo mundo comprasse menos coisas feitas de plástico (inclusive malas) não ia ser preciso extrair tanto petróleo, e talvez vazamentos graves como o que está acontecendo não precisariam acontecer. Que se a mala dela ainda está boa, não está rasgada, furada, nem nada, não tem motivo pra trocar. Além disso, a mala dela quando for pro lixo provavelmente vai demorar de 200 a 400 anos pra se decompor por completo. Pode ser que o bisneto da Nina ainda tropece nela um dia.

Ela escutou tudo, discutiu o assunto, fez uma série de perguntas sobre o tema, e se convenceu, e ficou feliz de ter a mesma mala desde o ano passado. E eu pude ver que a conversa teve mesmo resultado ontem, quando ela veio me contar que a amiga dela queria porque queria comprar (mais) uma lapiseira pra ela de presente na papelaria da escola na hora do recreio e ela não deixou, disse pra amiga que já tem lápis e lapiseiras suficientes e que não precisa gastar mais plástico pra fazer mais uma lapiseira pra ela.

Que linda, não?

3 comentários:

Magnum Opus disse...

Não assisti o video mas recomendo à Je pois é tia de muitos sobrinhos :P

Falando sério, espero que a mãe dessa coleguinha não esteja trocando educação, atenção, lições de vida etc por mochilas novas e outros bens materiais. Desse jeito, tornam-se crianças pidonas por serem vazias e infelizes... Parabéns pelo seu empenho em educar seus filhos e não simplesmente jogá-los na melhor escola e enchê-los de mimos. (sorry, parece um comentário de um senhor experiente, pai de 7 filhos e 20 netos hehehe)

Jerusa disse...

Dani
Muito bacana como vc lida com Mari. Ela ta numa idade que é definitiva para criar a personalidade dela. Muitos pais dizem que fazem a vontade dos filhos porque passam muito tempo longe deles e não querem "chamar a atenção" por algum erro por exemplo. Sentem-se culpados por fazer isso. Vc é um exemplo de que pode-se trabalhar o dia inteiro e ainda criar bem um filho, vc senta, conversa e explica. Muitas pais não veem que isso tem muito mais valor para os filhos ( o futuro deles) do que dar algo material. Quando crescer quero ser q nem vc!

Eliane disse...

Adorei esta história da vida real.