02 setembro, 2010

Mundo esterilizado

“Germes, bactérias, vírus, álcool gel, sabonete Protex, e sapato no pé, menino, pelo amor de Deus!”

Isso tudo faz parte do dia-a-dia das crianças de hoje em dia. Parece que quanto mais as cidades crescem, o concreto se espalha, a terra e as plantas vão se acabando, mais as pessoas ficam medrosas.

- Ui, pisar na terra descalço nem pensar! Vai sujar!
- Brincar na caixa de areia, menos ainda! Vai saber todos os germes que estão aí!
- Pisar na grama também não pode, pode ter aranha!
- Não mexe no cachorro, que ele tem pulgas!



Pra quem não tem filhos tudo isso pode parecer exagero, mas quanto mais eu convivo com mães e pais dos amiguinhos dos meus filhos mais eu me impressiono. A coisa é séria! As coitadas das crianças hoje em dia não podem mais fazer nada, não podem ser crianças! Imagina uma infância onde não se pode correr descalço, levar picada de borrachudo, nadar num lago, subir em árvores, rolar na grama, se lambuzar de sorvete, tomar banho de mangueira, que tristeza!



E não acho que a culpa de tudo isso seja o fato de muitas crianças hoje em dia viverem em apartamento. Essas com certeza estão em desvantagem, mas no condomínio onde eu moro tem espaço e grama, areia, terra, árvore de sobra pra criançada brincar, e muitos deles não brincam assim. Os pais não deixam. Já colocaram todo o tipo de medo de inseto, doença, perigo na cabeça das crianças, acho que pra garantir que eles não vão desobedecer. E elas ficam lá, limpinhas, de sapato no pé, sentadinhas, só olhando as outras crianças que brincam e se esbaldam.



A Nina e o Rafa ficam soltos, brincam a valer, porque eu também fui criada assim, como criança de verdade. Não havia nada que um vermífugo não resolvesse, nem que um bandaid e uma boa noite de sono não curasse. E não tem nada mais gostoso do que ver o filho da gente imundo no fim do dia, com um sorriso imenso no rosto depois de muito divertimento, tomar um banho bem gostoso, ficar bem limpinho e cheirosinho e ir pra cama, descansar e sonhar com as novas aventuras vividas!

9 comentários:

Je disse...

Primeiro as fotos estão muito fofas!
Concordo com vc. Mesmo morando em prédio sempre tive liberdade de andar descalço, tomar banho de magueira..até formiga eu já comi...hehehe. Quero poder criar meus filhos assim (tirando a parte da formiga hahah).

adrianeianzen disse...

Oi Dani! Amei seu post! Amei as fotos! É o que eu lamento com a Kakau... lá na minha mão não tem mais quintal, pois está dominado pelos dois cachorros monstro que ela tem lá. Lembro quando minha irmã e eu ficávamos a tarde inteira trepadas no pé de ameixa colhendo e comendo a fruta fresquinha... brincávamos descalças na grama... quantas vezes fiquei com espinho grudado no pé (como doía, hehehe). Assim que eu tiver a minha casa quero proporcionar isso para a Kauane. Sei que ainda dá tempo!

adrianeianzen disse...

Ops! Leiam, por favor, lá na minha "mãe"... eita.

Eliane disse...

Eu cresci no interior. Tive vários animais de estimação, cachorros, gatos, pintinhos e até uma vaca (a Carinhosa... eu deixei ela tão mansinha que dava para subir nela e passear). Lembro que eu era a rainha da floresta, tinha a árvore castelo (um ipê imenso que abria os galhos e dava para fazer uma casa entre eles). Eu e minhas irmãs brincávamos para valer; de peteca, de pula-tábua, de esconde-esconde, de casinha (e a gente cozinhava de verdade: pão, revirado...).
Infelizmente meus filhos não irão ter uma infância livre (recheada de aventuras) no campo, como eu tive.

Dri disse...

Os post foi ótimo! As fotos então... nem se fala!
Eu já morei em ap. e em casa... sempre fui arteira. Mesmo quando morei em prédio eu subia em árvore, pulava muro, ficava de pé descalço no condomínio, fazia bolo de terra, cozinhava grama etc.
Ai... só de pensar que meu filho já vai nascer "piá de prédio" ou se for menina né... ainda bem que temos a casa dos avós!!!
Ah... foi comprovado que criança tem de brincar na terra, na areia do parquinho pra se fortalecer!!!

Dri disse...

OS post FOI ÓTIMO hauhahaua , isso foi ótimo! huahauhauauh

Bi disse...

Ahhh...
Eu sempre morei em casa, tive vários animais de estimação e passei a maior parte da minha infância do lado de fora da casa. Graças a Deus!
Acho que a criança que não tem isso não é criança de verdade.
O bom é correr e brincar ao ar livre, andar descalço na grama, tomar banho de chuva...
Foi por esse e outros motivos que nos mudamos para uma casa maior, e uma das condições era que tivesse jardim, pro Nicholas poder correr e brincar. ELE ADORA!!! =)
Adorei o post...

Beijo pra todas!

Hadas disse...

Eu também fui criada como vc Dani, sem frescura...
Adorava caçar girinos, ficar em cima da amexeira, procurar amoras nos matos perto de casa... ai que tempo bom!
Vejo pelos meus sobrinhos hoje... são fortes e corados de tanto brincarem no quintal que um dia eu e minhas irmãs brincamos (que lindo isso!)
A necessidade de as crianças brincarem foi um dos fatores que nos fez ficarmos com o terreno grande lá no Xaxim... e agora, com o projeto da casa, já imagino as crianças brincando no espaço que reservamos para elas.
Briincar é tudo de bom!
Beijo!

Pé Mimado disse...

Concordo com vc, Dani! Eu sempre fui arteira e levava altas broncas da minha mãe pq eu me sujava e me machucava. Quando eu caía, eu chorava pq eu sabia que ia levar bronca da mãe, nunca pq sentia dor. Sempre achei um absurdo não poder fazer isso, não poder pisar naquilo...aff. Eu acho que a propaganda da Omo diz tudo: criança tem que se sujar! E a minha irmã está fazendo exatamente o mesmo que a minha mãe fazia para nós (eu fico engasgada até). Já tenho em mente que qdo eu for mãe, vou querer que os meus filhos sejam normais, que brinquem bastante, que se sujem, que comam terra e que cresçam fortes, saudáveis e felizes. Afinal, a infância é a melhor época da vida!
Dani, amei o post e as fotos! Os seus filhos são lindos demais!!! <3