03 setembro, 2010

É cada uma que a gente escuta... A coitada da grávida

(Pensaram que iam ficar uma semana inteira sem uma das minhas histórias de conversas de ônibus? hehehe)


Cenário: Ônibus do bairro, lotado, já indo pra casa.
Horário: Umas 7 da noite.
Personagens: Uma moça, de 23 anos, bem arrumadinha e de coque na cabeça, a Dani sentada ao lado no banco. Entra no primeiro ponto uma senhorinha que veio cumprimentar minha vizinha:


- Oi, minha filha, como vai, você tá boazinha?
- Sim, tô sim.
- De onde você tá vindo?
- Ah, eu arrumei um emprego, hoje foi meu primeiro dia.
- É mesmo? Onde?
- Na padaria XXXXX, sabe?
- Ah, sei, sei. Mas e você não está mais grávida?
- Tô, tô sim.

(A moça começa a balançar a perna de nervoso).

- Mas eles pegaram você mesmo sabendo que você tá grávida?
- É que eu não contei ainda...
- Nossa, mas como você vai fazer? Tem que contar!
- É, vou ver se eu me acerto lá, daí eu conto!
- Hum, e de quanto tempo você tá mesmo, menina?
- De 3 meses!
- E tá tudo bem?
- Sim, tá sim.
- Mesmo?
- Sim, sim.
- Você tá com quantos anos mesmo?
- 23
- Ah, então já não é tão novinha, tudo bem pegar barriga. E o pai da criança, vai assumir?
- Acho que vai...
- Por que acha?
- É que faz 1 mês que a gente se separou... Tamo sem se falar...
- Ah, mas eu sabia! Eles sempre fazem isso!

(Perna da moça balançando freneticamente, e a danada da senhorinha falando cada vez mais alto).

- Esses homens não são de nada! Embarrigam a menina e depois saem fora... Bando de safado! Na hora do bem bom tá tudo certo, tudo lindo, depois sobra pra moça criar a criança!
- Na verdade eu briguei foi com a mãe dele, que a gente tava morando junto na casa dela, mas não deu certo! Com ele mesmo estava tudo bem.
- Ah, mas a mãe dele eu conheço, é uma praga, mesmo! Aquela mulher é uma sem-coração! Nunca que ia dar certo mesmo, você e ele...
- Ih, olha, passei do meu ponto!
- É mesmo?
- É, eu tinha que ter descido lá atrás!
- E vai descer aqui, é? Não é longe, né? Desculpe, falei tanto que te distraí!
- Tudo bem! Tchaaau!
- Tchau, desculpe!


E claro, eu fiquei pensando na situação da pobre moça, no meio do ônibus lotado, tendo que dar explicação da vida dela pra todo mundo ouvir! Tem gente que não tem noção mesmo!

6 comentários:

Je disse...

Ai ceús coitada!
E é fogo que não tem como não prestar atenção nessas conversas estão ali...conversando na sua frente. E no fim a pessoa da conversa morre de vergonha....

Dri disse...

Dani, só fiquei curiosa com o que vai ser doemprego quando ela contar que está grávida. Coitada!

Beijo

Hadas disse...

Que vergonha!
por isso sou uma típica curitibana que não olha para os lados no ônibus... vai que alguém puxa papo?
Por exemplo: "nossa, vc é tão novinha e já é casada blá blá..." (a aliança sempre chama atenção para isso tsc tsc tsc).
Beijo!

Pé Mimado disse...

Hahahaha...eu tb sempre odiei ficar com conversa fiada dentro do ônibus (ou ouvir conversa fiada dos outros), ainda mais qdo a gente encontra aquela vizinha escandalosa, que fala alto e ainda gesticula. Todo mundo fica sabendo da tua vida. Fico com mais raiva ainda qdo a pessoa fala o teu nome alto...aí além de saberem da sua vida, sabem até o teu nome. Afff!Que vergonha, fiquei com dó dessa moça.

Beijos!!!

Magnum Opus disse...

Bem feito pra ela! Ainda vai enganar o tio da padaria... tá loco hein!

Bi disse...

Ah, nem me importo com as conversas, mas a tiazinha foi malvada, né?!
Tsc, tsc, tsc...