27 setembro, 2010

Triste constatação

Eu sou uma mulher adulta. Já tenho 35 anos. Mas uma das coisas às quais eu nunca me acostumo é a ausência dos meus amigos.

Já ganhei e perdi muitos amigos pela vida. Ou melhor, perder mesmo não perdi tantos, pois mesmo que às vezes a vida leve a gente por caminhos diferentes, aqueles que eu amo continuam sendo meus amigos. Tenho amigos que eu vejo todo dia, tem uns que eu vejo aos finais de semana, uns que eu vejo umas duas vezes por ano, outros uma vez a cada dois anos. Mas mesmo vendo pouco alguns deles, os que eu amo de verdade continuam sendo meus amigos. Porque eu passo a vida toda pensando neles, torcendo por eles.

Agora eu detesto a sensação de quando um amigo que eu vejo todo dia acaba virando um amigo que eu vejo a cada seis meses. A vida às vezes apronta dessas, e, mulher madura que sou, tento me lembrar de que faz parte. Como dizia uma frase que eu recebi por e-mail esses dias:

Quando Deus te mandou ao mundo ele não te prometeu que ia ser fácil, ele só disse que valeria a pena.

Mas como é difícil! Parece que falta um braço de mim.

E a minha triste constatação de hoje é de que ultimamente eu estou perdendo mais amigos do que ganhando.

Chuif!

7 comentários:

Magnum Opus disse...

Acho que perder amigos a gente sempre acaba perdendo mas o importante é não ganhar inimigos... Como diz aquele ditado popular "Amigos vão e vem... inimigos se acumulam", no fundo é verdade...

Je disse...

É Dani, muito complicado, a vida tem dessas coisas.
Mas muitas vezes essas amizades se tornam mais fortes e duram muita mais que aquelas do dia a dia.

E que bom que fiz vc ir pra cozinha ainda mais pra fazer pão de queijo!

Beso

Bi disse...

Dani!

Olha só...
Teu post cai feito uma luva pra mim...
Imagina eu, que estou aqui do outro lado do oceano? Como dói, viu... saber que aqueles amigos que eu mais amo estão muito longe de mim... =(
O que tenho a dizer é que, nenhum deles é substituído, mas você ganha outros amigos ocasionalmente e esses podem vir a tornar-se muito especiais também...
E lembre-se: não importa a quantidade e sim a qualidade! =)

Beijão...

Dri disse...

Dani, eu ia fazer o primeiro post, mas fiquei pensando no que você disse... sabe, minha melhor amiga foi pra outro continente e acho que não a perdi, acho que ganhei mais ainda a amizade. No pior das hipóteses, tá como era antes... muuuuuito bom.

Raphael disse...

Pois é, esse é o ciclo da vida...

Amigos vem e vão, mas o importante é ter bons amigos por perto em todo tempo.

Bi disse...

Fazendo só um adendo, aproveitando o que a Dri disse aí acima: acho que quanto mais longe os melhores amigos estão, mais se fortalece a amizade...
O único problema é a presença física, mas o que tá dentro do coração não acaba nunca! =)

Dani disse...

É, só que o problema é acostumar com a falta física. Essa transição de ver a pessoa todo dia, dela estar ao seu lado pra falar, trocar ideias, pra de repente ver e falar só de vez em quando...
É triste!

Já estou com saudade da Je, da Sil H. e até da Adri, que nem saiu ainda!

Buáááááá