21 outubro, 2010

Erro de mãe

Ontem a Marina tinha que fazer uma pesquisa sobre a imigração em Curitiba. E ela insistia que queria fazer a pesquisa na biblioteca, que a professora havia dito que tinha uns livros muito legais pra pesquisar. E ela me pediu se podia ir mais cedo, antes do horário da aula, pra fazer a tal pesquisa. Eu achei que não ia dar muito certo, que ela não ia conseguir fazer a pesquisa sozinha, mas acabei concordando.

Então a vovó levou a Marina pra escola quase 1 hora mais cedo.

Quando de noite ela me mostrou a pesquisa que havia feito na biblioteca, era uma folha sulfite onde estava escrito:



Os primeiros imigrantes de Curitiba foram os alemães.

Mas outros povos também trouxeram suas comidas e suas linguagens. Ex:

Alemães: goelho(joelho) de porco, alemão

Shinês (Chineses):

Japão: Shashimi, japones



Eu fiquei brava. Achei muito pouco! Puxa, ela foi mais cedo pra escola pra pesquisar sobre um tema e trouxe só isso escrito? Quase nenhuma frase? Falei pra ela que a pesquisa estava ruim, era muito pouco, e que precisaríamos olhar na Internet e pesquisar mais. Mandei ela pro banho. E ela ficou chateada.

Depois, com jeitinho, ela veio argumentar comigo. Que ela chegou na escola 50 minutos antes da aula. Daí ela teve que entregar o papel da matrícula dela na secretaria, conforme eu havia pedido, e perdeu tempo. Depois ela foi pra biblioteca e pediu ajuda pra bibliotecária, que só disse em que prateleira os livros deveriam estar, não foi lá ajudar ela a encontrar. E que ela não conseguia achar os livros, quando viu que um menino da mesma série dela estava com os livros sobre a mesa pesquisando. E que ela ficou morrendo de vergonha de pedir pra pesquisar nos mesmos livros, e acabou escrevendo o que ela sabia.

Puxa, e eu fiquei chateada comigo mesma. É verdade, às vezes eu esqueço que ela só tem 8 anos, e esse era um grande desafio, a primeira pesquisa sozinha na biblioteca. E achar um livro nas prateleiras da biblioteca realmente não é uma coisa assim muito fácil. E achar no livro o que interessa, copiar rapidinho... Pior, ter que chegar pra um menino desconhecido e pedir pra ver os livros que ele estava vendo... Impossível!

E cheguei à conclusão de que eu fui muito insensível com ela. Tô morrendo de culpa hoje o dia todo. Mas sabe, pra tudo tem remédio. Quando chegar em casa eu vou pedir desculpas pra ela por ter ficado brava ontem. Vou explicar que eu estava cansada e sem vontade de ainda ficar pesquisando coisas com ela na Internet até tarde, mas que eu entendo a dificuldade que ela teve na biblioteca. E dizer que tenho certeza que na próxima vez vai ser mais fácil pra ela. E que ela foi super legal por se interessar e pedir pra ir pesquisar na biblioteca.

Porque errar todo mundo erra (principalmente as mães), mas a gente tem que enxergar os nossos erros e tentar consertar as besteiras que a gente faz. E reconhecer os nossos próprios erros pros filhos sempre é uma boa lição sobre isso.

9 comentários:

Magnum Opus disse...

Poxa, por essa e outras situações que vc já contou aqui no blog só posso dizer que vc é uma mãe super legal!! =)

Pé Mimado disse...

Verdade, Dani!
O Denis tem toda razão, vc é uma mãe super legal.
São raras as mães que reconhecem os erros e pedem desculpas ao filho. Continue assim, sendo mãe e amiga da sua filha querida. :)

Beijos!

Je disse...

Oi Dani
Concordo com os dois comentários acima, é difícil os pais notarem os seus erros, e mesmo quando notam não tem a coragem de pedir desculpas.
Mais um lição aprendida com a senhora Sholtz.

Bi disse...

Dani!

Adoro teus posts... tava com saudade!
Quando eu crescer, eu quero ser uma mae assim... hehehe...

Parabens!

Beijoca...

Hadas disse...

Dani, nao se sinta tao culpada. O pulo do gato foi vc ter reconhecido o erro e com amor e carinho a Marina logo esquecerá o ocorrido... Beijo!

Eliane Felisbino disse...

Olha o lado bom, mesmo diante de condições adversas ela encontrou uma saída.

Eu até achei simpática a pesquisa dela...rs.

Bruno disse...

Quando eu tiver meus filhotes, vou me lembrar de voltar aqui no seu blog e aprender umas lições como essa.

Bruno disse...

(Esuqci de dizer) Nossa, e muito legal isso dela se interessar por ir na biblioteca, muito mesmo :)

Dri disse...

Dani, que maravilha a Marina ter ido à biblioteca. Puxa, ela queria pequisar em livros!!! A minha sobrinha vai direto na internet e eu já falei que temos uma enciclopédia que serve para pesquisa de fatos históricos que não mudam mais, que deixe a internet para outras coisas que não se encontram em livros.
Quanto a sentir mal, imagine Dani! Reconheceu e é uma oportunidade de mostrar para sua filha que as pessoas cometem enganos e que é bonito reconhecer e pedir desculpas!
Beijo