25 agosto, 2010

A culpa materna

Todo mundo sabe que quando nasce um bebê nasce também uma mãe. Que lindo, né?

O que pouca gente sabe, porém, é que quando nasce uma mãe nasce também a culpa materna! Aliás, a culpa nasce já na concepção. Vejam abaixo pensamentos que eu tive (e olha, eu nem sou tão encanada assim) depois de descobrir que eu seria mãe:

- Logo que descobri que eu estava grávida: „Nossa, eu estou grávida, que irresponsabilidade, eu nem estava tomando ácido fólico, nem me preveni, aaaiiii, e anteontem eu tomei uma aspirina! Será que vai ficar tudo bem com o bebê?“

- Ainda no início da gestação: „Puxa, por que é que eu fui comer tanta feijoada? Será que o bebê está bem? Será que ele ainda cabe na barriga com meu estômago tão cheio?“

- Mais lá pra metade da gravidez: „Ai, eu comi churrasco, salgadinho, brigadeiro, pão branco, sanduíche, bolo, pizza, batata frita, ... e tomei refrigerante, suco Tang, vinho, ... que droga, por que eu não me alimento direito e bem saudável, como é recomendado?“

- Já mais pro final: „Nossa, eu fico dormindo de lado quase de bruços, será que estou esmagando o bebê?“

- Quando nasceu a Nina: „Puxa, como ela é miudinha, tá vendo, não me alimentei direito na gravidez e ela não engordou...“

- Nas noites de choro, quando ela chorava no meu colo e só parava de chorar no colo dos outros: „Tá vendo? Aposto que em outras vidas eu maltratei ela, e agora ela não me ama, por que que eu fui fazer isso?“ (Considerem aí um pouco de depressão pós-parto também)

- Nas horas de choro ininterrupto por causa das cólicas: „Minha Nossa, o que será que eu comi que deu gases na minha pitica?“

- Na primeira assadura: „Ê, que mãe incompetente que eu sou, deixei a menina assar!“

- No primeiro tombo: „Olha que irresponsável que eu sou, tadinha, machucou?“

E assim vai, acredito que a vida inteira, e a gente se achando culpada e responsável por qualquer coisa errada que acontece com os filhos da gente. Nos choros por causa de brigas com os amigos, a gente sente que não preparou a criança direito pra esse tipo de situação. Quando a criança vai mal na escola, a culpa é nossa. Se ela fica resfriada, a gente acha que não agasalhou o suficiente. Se ela tem pesadelos, é porque deixamos assistir um programa de TV inadequado. Se ela se recusa a se secar sozinha depois do banho, a gente acha que está mimando demais...

É muito difícil ser mãe porque realmente, tem um serzinho que depende de você pra tudo (inclusive pra crescer e ser educado). E mesmo tentando fazer o melhor, nunca seremos perfeitas. Mas o importante, de verdade, é continuar tentando fazer o melhor. E ter consciência de que a culpa materna existe pra todas as mães, que não é exclusividade nossa!

9 comentários:

Bi disse...

Ê!
Primeira a comentar! Yes! \o/

Então...
Quando fiquei grávida eu me apavorei.
Enquanto esperava pelo resultado do teste de farmácia, eu tremia feito vara verde. Quando deu positivo, levei uns 3 meses pra contar pra minha mãe, porque fiquei pensando:
"Meu Deus! O que a minha mãe vai pensar? Eu tô grávida, e agora?"

Foram diversas as culpas e inseguranças durante a gravidez e depois que o pequeno nasceu também.
Ainda tenho muitas, mas procuro deixá-las de lado pra que essa insegurança não seja transmitida pra ele.

Não existiu, existe ou vai existir mãe perfeita, 100% acertiva. O que se pode tentar é dar aos filhos a melhor educação possível e prepará-los bem para enfrentar esse mundão aí! =)

Je disse...

Puxa vida...será que vou ficar assim? Já to culpada por ter medo de me sentir culpada hahaha

Bi disse...

É normal, Je... coisa de mãe! rs

Dri disse...

Eu morro de medo de ser aquela tipo "superprotetora"... quero nem pensar!

Hadas disse...

Dani!
já me sinto culpada só de pensar que um dia poderei, de repente, não ter disposição de dar atenção suficiente p/ meu futuro filho(a).
Ai Meu Deus!!!

Magnum Opus disse...

Se é pra escolher ser alguma coisa prefiro ser pai...

Eliane disse...

Ufa, eu sou normal, já tive tantas culpas em seis semanas kkkkkkkk

Pé Mimado disse...

Hahahahaha...essa culpa é normal na mulher. A minha irmã é assim, sente-se culpada por tudo! Até mesmo comigo, ela pede desculpas por ter me telefonado tão tarde e fica se sentindo culpada por (de repente) me atrapalhar (coisa que não acontece, pois eu adoro ela). Mas ela vive falando que ela gostaria muito de ser uma boa mãe... (não entendo, pois ela é uma super mãezona que ama os filhos). Se eu vou ser assim, sei lá...mas a insegurança existe, é claro. Qual é a mulher que não quer ter a certeza de que é uma boa esposa e será (ou é) uma excelente mãe??

Beijos, Dani! =)

Ana Paula Ruggini Zarpelon disse...

Pois é, tenho isto também! Fico pensando: aí não estou comendo maçã, ele pode ter problemas de pele!! EStou na internet pesquisando sobre isso...haha Sou muito encanada com a alimentação, mesmo porque me alimento muito mal: excesso de carboidrato!! Tento me acalmar com os depoimentos da minha sogra, que passou muita necessidade na gravidez, só se alimentava de sardinha e coco!! hehe E mesmo assim o meu marido nasceu saudável, mas hoje tem problema de pele ( aiiiiiii eu preciso comer mais maçã!)
Cara, mãe sofre porque vive apavorada! rs. Ah, mas faço alguns sacrifícios: como meu vício em malzebier e licor, simplesmente foram riscados do meu cardápio. Fora a bendita coca-cola diária, agora só uma vez por semana e pouco!!


Beijos!