09 julho, 2010

O sono do bebê

Hoje vou dar dicas importantes sobre o sono infantil. Esse é um tema que apavora quem tem bebês e principalmente quem ainda vai ter. Porque o que acontece é que a maioria dos bebês passa meses e meses após o nascimento chorando algumas (ou várias) vezes durante a madrugada. E o sono dos pais fica prejudicado. Quem já passou por isso sabe como é duro ficar pescando na frente do computador no trabalho após uma noite mal dormida.

E a gente acaba se convencendo de que isso é normal, e um dia vai passar. Só que eu tenho uma amigona, a Tania, que tem duas filhas e nenhuma delas nunca deu trabalho pra dormir. Eu lembro quando elas tinham 11 meses, 1 ano, ganhavam mamadeira, escovavam os dentinhos e vinham na sala dar boa noite pra gente, aí a Tania levava elas pro quarto e puft, pronto, dormiam! Sem protesto, sem reclamação. Lógico que eu perguntei pra ela como ela fazia isso, e ela me disse que ainda na gravidez havia lido um livro alemão que ensina que toda criança pode aprender a dormir e como fazer. Aqui no Brasil existe um livro similar chamado „Nana Nenê“.

Resumindo o que o livro diz, primeiro o que a gente tem que entender é que ninguém dorme a noite toda direto sem dar pequenas acordadas. Quando a humanidade ainda dormia em cavernas, exposta a todo tipo de perigo que existia, desenvolvemos um "sistema de alerta" interno, que faz com que enquanto a gente dorme ocorram alguns períodos de sono mais leve no qual a gente chega mesmo a acordar (mas continua inconsciente), pra que seja possível checarmos se está tudo em ordem, se está tudo como quando a gente dormiu, e se não tem uma onça querendo comer a gente. Quando está tudo checado e tudo bem, voltamos a dormir numa boa. Só que se algo está diferente o corpo da gente desperta de verdade, ativando a nossa consciência.

Então o que acontece é que o bebê durante essas acordadas de noite vai checar se está tudo igual ao que estava quando ele dormiu, e normalmente não está. Bebês geralmente dormem sendo amamentados, embalados, ouvindo canções de ninar, ou deitados na sala vendo televisão, como foi com a Marina. Aí o bebezinho dormiu profundamente e você leva ele calmamente pro berço, bem quietinho pra não fazer barulho, e ele fica lá, dormindinho.

Eis que daqui a uma ou duas horas – unhéééééééééééé! O bebê deu a acordadinha de checagem e você não estava lá, nem a mamadeira, nem a luz, nem a TV! Aí você vai, pega o coitadinho, balança ele até acalmar, ou dá de mamar de novo, pois ele deve estar com fome, e ele dorme. Daqui a duas ou três horas – unhééééééééé de novo! Ui, você tinha acabado de adormecer e levanta zonzinha pra atender o bebê, balança, dá de mamar e ele dorme. E daqui a mais umas três horas adivinha? Unhééééééééééééé de novo, você levanta pra atender de novo a criatura, balança, dá de mamar e volta pra cama, e agora demora pra dormir, porque ficou com raiva. E assim vai a noite toda, todas as noites. E o bebê já tem 1 ano! O que fazer?

Eu estava nessas com o Rafa, mesmo tendo lido o tal livro na gravidez. E já estava levando ele pra minha cama e tudo. Aí resolvi fazer o que eles falam no livro, que é ensinar a criança a dormir sozinha na cama dela. A gente tem que deixar ela na cama dela com os objetos que ela vai ver quando acordar (ursinho, paninho, chupeta) até adormecer sozinha, sem carinho nas costas, sem segurar a mão da mamãe, sem tomar mamadeira, sem todo tipo de costume que possa criar dependência de outra pessoa pra resolver. Por isso o bichinho preferido é uma boa, porque ela pode se acostumar a dormir com ele e depois encontra ele sozinho no meio da noite, sem precisar de ajuda.

Mas como fazer, já que quando eu deixo a criança no berço sozinha ela chora e grita? No livro eles explicam que não se pode deixar a criança abandonada chorando sozinha no quarto, que não é saudável nem justo. Então antes de começar qualquer coisa é necessário criar uma rotina diária do bebê, e não só à noite, durante o dia também. Então tem que ter hora certa pra acordar, mamar, comer, tirar soneca diurna, brincar, tomar banho, até dormir. Assim, quando o bebê está acostumado a essa rotina ele fica mais seguro do que vai acontecer a seguir. E se ele dorme sempre depois do banho, por exemplo, quando ele tomar banho ele já vai estar se preparando pra dormir, e aceita melhor esse momento. Então depois que a rotina diária já está funcionando é hora da adaptação a dormir sozinho no berço. Pra isso é bom ter um ritualzinho da hora de dormir. Com o Rafa, por exemplo, quando é a hora e eu vejo que ele está com sono (é importante a criança estar com sono) eu dou a mamadeira dele enquanto ele fica esfregando o nariz do ratão de pelúcia dele na mão, mas não deixo ele dormir mamando. Daí eu levanto e vou escovar os dois dentinhos dele (ele adora isso), então a gente procura a Nina pela casa pra ela dar beijinho de boa noite nele, aí o papai dá o beijinho dele e eu vou pro quarto dele, já escuro. Dou uma balançadinha, digo que amo muito ele, que ele é muito importante pra mim mas que agora á hora de dormir e amanhã ele brinca mais. É importante notar que provavelmente, como ele só tem 1 ano, ele ainda não entende o que eu falo, mas o importante é o meu tom de voz, quando eu falo isso eu ajudo a convencer a mim mesma de que agora é hora dele dormir.

Então é o primeiro dia do ritualzinho, eu deixo ele no berço e o que acontece? Ele rapidamente se levanta e começa a gritar. Berrar mesmo, que esses dias atrás ele aprendeu a gritar que nem gente grande. Segundo o método do livro é preciso deixar o bebê gritar por 3 minutos pra daí ir no quarto dar uma acalmada nele. E esses 3 minutos são contados no relógio, pois a tendência da gente é ir lá depois de 30 segundos. Aí você entra no quarto, fala com voz calma pro bebê que é hora de dormir, que está tudo bem, deita ele de novo e sai logo depois. Não pode ficar no quarto mais de 1 minuto, nem pode tirar ele do berço. E espera mais 3 minutos de gritaria, volta, fica no máximo 1, sai e assim vai. Depois pode ir espaçando um pouco, pra 5 minutos, até 7 no máximo. Não se deve nunca deixar o bebê gritar mais do que 7 minutos sozinho no quarto. Assim, a gente mostra pra ele que a gente está por perto, que não sumiu, mas que não adianta ele gritar pois ele vai continuar no berço até dormir. E uma hora ele dorme.
Esse processo deve ser repetido durante as sonecas do dia, e na noite seguinte, e sempre. É importante se manter firme, pois se numa noite a gente cede o processo começa todo de novo, e pior, porque o bebê vai saber que se ele chorar muuuito você cede.

O Rafa na primeira noite ficou chorando e gritando por 45 minutos (e eu também fiquei chorando, diga-se de passagem). Mas dormiu direto até às 6 da manhã. Na segunda noite ele chorou por 5 minutos e dormiu direto até às 6 e meia. Na terceira por nem 1 minuto. E agora ele já deita com gosto no bercinho. Eu faço o ritualzinho e ele vai pro quarto ainda acordado, eu coloco ele no berço, ele se abraça no ratão dele, vira pro lado e fica brincando com o ratão até adormecer. E isso já tem uma semana. E ele só acorda no meio da noite se a fralda vaza, senão vai direto até de manhã. Eu nem acredito! Ele costumava acordar de 2 a 3 vezes à noite e só dormia de novo se mamasse ou se eu levasse ele pra minha cama. E na minha cama ele também acordava a cada duas horas, acho que incomodado do calor, do ronco do pai, essas coisas. Enfim, ele não dormia bem. Aguentar o bichinho chorando por 45 minutos na primeira noite não foi fácil, mas valeu a pena. Estamos todos dormindo melhor e bem mais descansados!

Nos livros existem muitas outras dicas, são contados casos especiais, etc. Então eu recomendo a quem quiser se aprofundar no assunto que leia livros sobre isso. Mas eu só queria que vocês soubessem que é possível o bebê já a partir de 6 meses de idade dormir a noite toda no bercinho dele. Basta se informar e ser firme.

Espero que vocês tenham gostado!

4 comentários:

Je disse...

Excelente dica Dani. Quando os Hortinhas tiverem na area vou fazer assim (hahah)!
Uma das minhas sobrinhas dorme sem muitos problemas e se ela acorda, fica lá berço brincando sossegadinha, uma beleza!

Dri disse...

Nossa Dani! Que máximo... vou ler isso com o meu marido... Vou indicar para a Bi e para as minhas cunhadas o sei blog!
Genial!
Beijo

Hadas disse...

Dani! Acho que vou imprimir para nunca perder essas suas dicas... Como vc já sabe, vou te contratar para ser minha consultora de bebê quando eu estiver grávida! hahahah!
Essas dicas todas só valem para bebês com 6 meses? antes não adianta? E se a crinça for maior, tipo minha sobrinha (2 anos)? Beijo!

Dani disse...

Hahaha, consultora de bebê é ótimo!

Sil, na verdade o bebê até 6 meses ainda precisa realmente mamar à noite, então é normal até lá que a gente tenha que acordar pra dar de mamar. Mas já dá pra acostumar o bebê a dormir no berço. O certo é que o bebê não durma mamando, e sim já no berço dele, desde os primeiros dias de vida. Fazendo assim ele já se acostuma e nunca vai chorar pra dormir. Já com a sua sobrinha de 1 ano, se ela chora durante a noite, o jeito é fazer o esquema de deixar chorar mesmo, como eu fiz com o Rafa.

Beijos!